sexta-feira, 31 de março de 2017

Ervas do Casal

Vai fazer duas semanas no próximo domingo, que fui fazer uma visita muito especial. Já andava há bastante tempo a querer visitar uma quinta de produção biológica e nesse domingo foi o que aconteceu. Tive conhecimento através do Facebook que iria haver uma visita guiada a esta quinta e aproveitei logo para guardar lugar. E ainda bem que o fiz, valeu mesmo a pena. 
A quinta situa-se em Mogofores, Anadia e produzem ervas aromáticas em modo biológico.


À chegada fomos logo recebidos pela simpatia da Patrícia, acompanhada de bolo doce regional e infusões quentinhas das ervas de produção biológica local: tomilho, menta, lúcia-lima e hortelã-brava com stevia. E enquanto fomos esperando que todos os visitantes chegassem, fomos saboreando todos os sabores e vendo os vasos com algumas das ervas que são cultivadas por eles.

Depois das apresentações, iniciou a visita guiada propriamente dita. Começámos pelo galinheiro e eu que já ando com vontade de ter um galinheiro na horta há tanto tempo, ao ver as galinhas de raça portuguesa e a simplicidade da estrutura, fiquei logo inspirada para pôr as mãos à obra.


Continuámos pela quinta, conhecendo as diversas ervas, sempre com a explicação da nossa guia. Não as fotografei todas, nem pensar e a minha memória não comportou o nome de todas, mas posso dizer que vim de lá apaixonada pelo aroma de umas quantas.

(Consolda)
A salva ananás, o tomilho bela-luz, a menta piperita e a erva do caril, foram as que me ficaram na memória do nariz, pois tinham um cheiro fabuloso. 

(Salva Ananás)
Mas em termos de beleza e cor, a borragem e a calêndula foram as minhas favoritas e fiquei com vontade de as ter na minha horta.
(Calêndula)
(Linhas de cultivo - Camomila em destaque)
(Pimpinelas, Salvas e a nossa guia lá no fundo)
Vimos ainda as estufas com as mudas das próximas culturas, a zona de secagem das ervas e alguma maquinaria usada.


E para acabar em beleza, ainda pudemos comprar saquinhos de ervas, à nossa escolha: eu lá me controlei e só trouxe stevia, segurelha e manjerona. 

Não me vou alongar muito mais com a descrição da visita, vou apenas dizer que aprendi muito e que fiquei bastante satisfeita. As ervas que trouxe já foram testadas e comprovo a qualidade. Biológico tem definitivamente um outro sabor.

(A certificação biológica da Natureza: a presença das joaninhas 💖)
Se quiserem conhecer também esta quinta e os seus produtos, podem acompanhar todas as novidades na sua página de Facebook: https://www.facebook.com/ervasdocasal/

Eles vão tendo vários eventos no seu espaço, entre visitas, workshops e outros, por isso podem aproveitar e conhecer mais sobre as ervas que tanto gostam. E se quiserem comprar as maravilhosas ervas aromáticas que vendem, é só estarem atentos às várias feiras, festas e festivais onde irão, um pouco por todo o país, ou então entrar directamente em contacto.

Bom fim de semana!!!

(Desculpem a fraca qualidade das fotos, mas com o telemóvel não se consegue melhor)

sábado, 11 de março de 2017

A Delícia das Couves Portuguesas Biológicas

A Primavera está à porta e, apesar da fraca precipitação ao longo do Outono/Inverno, a nossa horta floresce.

Já fez um ano que mudámos a localização da horta e bendita a hora que o decidimos fazer. Agora temos mais trabalho, mas os resultados também têm sido melhores e isso inspira-nos a fazer mais e mais. Ainda não estamos na fase da autossustentabilidade, mas a produção já satisfaz e para lá caminhamos, passo a passo.

Há dois ou três dias apanhei a primeira couve portuguesa, daquelas que plantámos em Novembro passado. Demoraram um pouco mais a crescer do que estava inicialmente à espera, mas a verdade é que a falta de chuva atrasou o desenvolvimento de tudo, no geral. Mas a espera valeu a pena, oh se valeu!

Logo nesse dia à noite fiz sopa com essa couve e a diferença no sabor foi incrível! Não houve grande diferença nos ingredientes que usei para a base desta sopa, em relação às sopas anteriores. A única diferença é que em vez de couve de outras hortas ou de supermercado, usei a nossa primeira couve, cultivada em ambiente totalmente biológico. Mas o sabor ficou bem diferente. Aliás, ficou com sabor, que é uma coisa que falta a todos os legumes "de aviário".


E já sabemos, que para além do paladar ser diferente, os legumes cultivados em modo biológico têm também uma coisa que, apesar de não ter sabor, tem muita importância: têm mais nutrientes, logo mais saúde. 

Nos dias de hoje, que tanto se fala de nutrientes, vitaminas, minerais, antioxidantes, proteínas, hidratos, gorduras, açúcares, etc, esquecemo-nos que há diferenças, em termos de riqueza nutricional, entre alimentos biológicos e alimentos de produção massiva. Bem sei que nem todas as pessoas têm local, tempo ou vontade de ter horta, mas a verdade é que até é fácil cultivar coisas, nem que seja na varanda.

(vista geral do canteiro com as primeiras couves que plantámos)

E já existem muitas soluções para quem não pode, não quer ou não tem terreno ou tempo para cultivar. Cada vez mais agricultores apostam no modo de produção sustentável e biológico e nós, conscienciosos consumidores, é que ganhamos.

Nós por cá, vamos continuando a cultivar os nossos legumes e frutas, totalmente sem químicos, respeitando as regras da Natureza, aproveitando os seus saborosos resultados e comendo pratos muito mais ricos, tanto no sabor, como na nutrição.
E vocês?

Bom fim de semana!