quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Os Livros de 2018

Apesar de já estarmos no 2º mês do ano gregoriano, o Novo Ano Chinês foi há poucos dias, por isso posso (ainda) dizer:
"Bom ano a todos!"

Mas não foi para falar de Calendários que vim, mas sim para partilhar as minhas leituras de 2018 e buscar algumas inspirações vossas de leituras para 2019.

Não sei exatamente quantos livros li, pois nesta correria dos últimos tempos acabei por não fazer o que costumo fazer, que é a lista dos livros lidos. Decerto que um ou dois me irá escapar, por ser muito pequeno ou por não me ter impressionado especialmente. 

Mas há uns quantos que me ficaram na memória. Apesar de continuar a fazer o que comecei em 2016, este ano lá comprei dois livros novos. Não resisti, são de duas das minhas autoras favoritas, Isabel Allende e Joanne Harris. Mas continuei a dar voltas à minha biblioteca e às dos familiares e tive algumas agradáveis surpresas.

Uma dessas agradáveis surpresas foi o Pássaros Feridos de Colleen McCullough. Já morava na minha estante há vários anos, mas nunca o tinha lido. É um livro extenso, mas não era isso que me impedia de o ler. O que não me puxava para o ler era a série televisiva que passou em Portugal (há muitos anos atrás, com o David Carradine, penso eu...). Só me lembrava que era um amor proibido entre um padre e uma jovem e amores impossíveis não costumam fazer parte dos meus temas favoritos de leitura. 
Bem, neste caso foi puro preconceito. O livro foi uma surpresa enorme! Sim, aparece no livro um amor impossível entre um padre e uma jovem, mas a história é muito, mas muito mais que isso. É a história de uma família e dos seus vários elementos, da luta da vida na Nova Zelândia e Austrália do século XX, de emigração, de amores e desamores, vida e morte e as convenções sociais daquela altura. Um livro riquíssimo, que seguramente já está na lista dos meus favoritos💘.



Dentro deste estilo, também li dois livros da mesma autora (Zília Gonçalves): Janelas Imperfeitas e Janelas Imperfeitas - Volume II. É um retrato histórico da sociedade portuguesa, visto sempre pelo olhar feminino, uma vez que os dois livros têm como personagens principais mulheres. 
No primeiro volume conta a história de Maria do Rosário, nascida pobre e da sua luta ao longo da vida. É um retrato verdadeiro de como era a vida entre os finais do séc. XIX e o início do séc. XX.
No Volume 2, a história do primeiro livro entrelaça-se, embora não seja uma continuação directa. A personagem principal é agora Angélica Maria e é "um retrato da vida portuguesa do final da segunda ao final da quinta décadas do século XX". 
O estilo de escrita nota-se que ainda é um pouco "naif", uma vez que a autora não tinha experiência prévia de escrita e a estrutura dos livros poderia ser um pouco melhor. Mas a pesquisa histórica foi extensa e, para quem gosta destes retratos reais de outros tempos da nossa sociedade, estes livros são obrigatórios. Com muitas informações interessantes, apesar da escrita não o ser assim tanto. No entanto, estou a aguardar o lançamento do terceiro volume com um certo entusiasmo.
Estes dois livros moram na estante dos meus pais, uma vez que a autora é prima da minha mãe.

Dos livros que comprei no ano passado, o primeiro foi "Uma Questão de Classe" da Joanne Harris. Esta autora escreveu dois meus livros favoritos (Chocolate e A Praia Roubada) e adoro a forma como escreve. A sua escrita é muita vezes descrita como viciante e eu concordo. Tenho vários dos seus títulos e já li e reli todos eles. Há sempre uma certa aura de mistério e nunca conseguimos adivinhar o final, há sempre umas reviravoltas que nos trocam a lógica e que adoro!
"Uma Questão de Classe" passa-se em St. Oswald, o mesmo colégio antigo e cheio de mistérios e tradições do livro "Xeque ao Rei" e tem a mesma personagem principal, o professor Roy Straitley. Para quem gosta de mistérios com uma pitada de policial, este é um bom livro. 


O segundo livro dos livros comprados foi "O Jogo de Ripper", o primeiro policial escrito por Isabel Allende. Adoro a escrita desta autora, é muito envolvente e os seus personagens são sempre muito interessantes, bem como as suas histórias. 
Mesmo sendo um estilo de livro diferente do seu habitual, a qualidade da sua escrita é sempre fenomenal e, para mim, ela ganhou este desafio. Gostei muito e irei lê-lo novamente, de certeza. Junto com muito gosto mais este livro aos outros que já tenho da autora, na minha biblioteca pessoal.

Ainda no ano passado também reli um outro livro de Isabel Allende: "Eva Luna". Este foi dos primeiros livros que comprei desta escritora, ainda andava a tirar o curso (ou seja, já o tenho há perto de 20 anos😑) mas que já li seguramente umas 3 ou 4 vezes.

Li também "Sem Sangue" de Alessandro Baricco, um dos livros que vinham por 1€ na revista Sábado, há muitos anos atrás. Nunca me tinha despertado interesse e, para dizer a verdade, não gostei muito. Foi talvez o livro que menos gostei, dos que li no ano passado.
Não foi do tipo de escrita que não gostei. O tema em si e o final da história é que não me agarraram. Um pouco violento demais para o meu gosto. 


Ainda destes livros que vinham por 1€ (já lá vai o tempo em que havia promoções e ofertas de livros na compra de outros artigos...) e que ficaram esquecidos na estante, também li este ano a famosa "Crónica de uma Morte Anunciada" de Gabriel Garcia Marquez. Adorei a escrita e a forma como transformou um acontecimento violento, numa história deliciosa e muito agradável de ler. Penso que nunca li outro livro deste autor, o que é uma falha para mim. Gostei muito, talvez por ser um autor sul-americano. 

Não sei porquê, mas gosto muito da escrita e das histórias de muitos escritores sul-americanos. Talvez não sejam todos assim, mas dos que já li, a maioria são todos contadores de histórias fabulosos. Desde Isabel Allende até ao Jorge Amado, passando por Lygia Fagundes Telles, Luis Sepúlveda e António Skármeta (dos que me lembro de ter lido), tenho gostado de todos.

Para finalizar a lista de 2018 encontram-se os livros "O Véu Rasgado - A Minha Vida na Arábia Saudita" de Carmen Bin Laden - autobiografia que achei muito interessante - e "Justine" de Lawrence Durrel - que me custou muito acabar de ler. Não gostei, achei muito aborrecido.

Este ano já vou no segundo livro e, para não me esquecer da lista, comecei a tomar nota na agenda😏. Mas este assunto fica para outra altura.

Quais destes livros é que vocês conhecem? E que títulos/autores é que vocês aconselham para futuras leituras? 


16 comentários:

Konigvs disse...

Uma publicação interessante para quem gosta de ler. Eu não sou propriamente um leitor ávido (escrevo bem mais do que leio) mas, sem dúvida, que tenho lido mais nos últimos anos, e talvez não seja coincidência o facto de ter deixado de ter televisão. Às vezes penso que tenho pena de não poder ir de transportes públicos para o trabalho, porque assim poderia ler imenso naquela hora que todos os dias perco a conduzir! Os livros que eu poderia ler se andasse de transportes públicos! Ainda assim chego sempre uns vinte minutos mais cedo ao trabalho e fico tranquilamente no carro a ler.

Têm-me chegado muitos livros, se calhar mais de uma centena por esta ideia que tive:
https://multi-resistente.blogspot.com/2018/10/plantas-por-livros.html
e muitos outros que tenho comprado, sempre usados, quase sempre baratinhos e quase sempre clássicos.

Dos autores que mencionaste li um de Isabel Allende: A casa dos espíritos. Gostei bastante apesar de ser muito mais sobre política que sobre espíritos! Olha, lá explica muito bem, por exemplo, como é que o grande capital decapita os eventuais governos de esquerda que sejam eleitos:
https://multi-resistente.blogspot.com/2018/10/como-e-que-os-ricos-decapitam-os.html

De resto, o que tenho lido ultimamente:
- Dostoiévski "Pobre gente" o primeiro livro que o autor escreveu com 25 anos!
- "A amizade" de Alberoni - muito interessante. As pessoas passam a vida a chamar amigos ao que de facto não são amigos. (entretanto como gostei desse já recebi dois outros dele)
- Pitigrilli, li vários e gosto mesmo muito da escrita dele, porque é mesmo muito ácido e corrosivo (como eu?!). Gostei muito d'O homem que procura o amor.
- 1984 de Orwell - obrigatório! Toda a gente deveria estar a ler este livro neste momento!
- Admirável mundo novo - outro clássico obrigatório!

Neste momento estou a acabar o "Tudo que temos cá dentro" do Daniel Sampaio, livro que há cerca de vinte anos ofereci à 1a namorada e nunca tinha lido. Mas foi uma boa oferta, porque o livro é muito bom! Aborda o suicídio.

Curiosamente, há duas semanas conheci um casal (de quem nada sabia nem sei) e já depois por telefone a senhora disse-me que como eu gostava de ler me ia oferecer um livro para retribuir uma simpatia da minha parte. O livro chegou hoje por correio. Acreditas que o nome da autora do livro é o mesmo da pessoa que o enviou? Quase que me caíam ao chão!

Andreia Morais disse...

Bom ano! Espero que 2019 seja maravilhoso :)

Tenho Crónica de uma Morte Anunciada em espera. E estou mesmo curiosa com a obra! Há dois anos, li um livro de Joanne Harris e fiquei cheia de vontade de ler mais

Gracita disse...

Olá Catarina
Eu não li nenhum desses livros mas gostei imenso de ler as suas resenhas muito bem elaboradas e instigantes
Que neste ano você lei com mais fôlego outros títulos tão interessantes
Beijos querida

Inês disse...

Não conhecia nenhum desses livros que referes. Adoro ler, mas infelizmente não o tenho feito muito, ver se este ano melhora. :)
--
O diário da Inês | Facebook | Instagram

Marisa Reis disse...

O Pássaros Feridos de Colleen McCullough li quando tinha 16 anos, lá está era de uma tia e estive 15 dias de férias em casa dela e então li o livro.

Não gosto de Isabel Allende os 3 livros que tenho são muito fantasiosos (O bosque dos pigmeus, A cidade dos deuses selvagens e O reino do dragão de ouro) acho que o meu problema está mesmo nos autores espanhóis o Cem anos de Solidão de Gabriel García Marques foi uma seca, e Frida da Frida Kahlo idem... quanto a Jorge Amado tenho alguns ( Gabriela, Cravo e Canela, Tieta do Agreste, Dona Flor e seus dois maridos, O gato malhado e a andorinha Sinhá, Capitães da areia).

Gosto muito de livros baseados em histórias verídicas, adoro ler mas há livros que enquanto para umas pessoas são excelentes eu por exemplo acho uma seca.

Policiais, romances e histórias possíveis, tudo o que seja muito fantasioso ou ficção científica fica de lado...

Tenho vários por ler por achar que nem merecem uma oportunidade... leio as primeiras 10/15 páginas e já não continuo.

Por exemplo os de Dan Brown começo a ler e em 2/3 dias estão lidos, tal como o Rio das Flores ou o Equador do Miguel Sousa Tavares, quando gosto não consigo parar de ler...

CÉU disse...

Olá, Catarina!

BOM ANO E MUITA PRODUÇÃO!

Gosto de ler, mas prefiro escrever. Já li Allende, Garcia Marquez, Joanne Harris e Isabel Allende, que quase sempre põe uma pitadinha política no k escreve.

Apesar de gostar destes autores, gosto mto dos clássicos, mesmo portugueses como o nosso Eça, por exemplo.

Boas leituras e que o negócio continue a correr mto bem.

Beijinhos e bom domingo.

O meu pensamento viaja disse...

Olá, Catarina, leio regularmente, isto é, tenho sempre um livro nas mãos. Lembro de ter lido Pássaros Feridos e de ter gostado muito. Este ano descobri Margareth Atwood de quem já li duas obras e Philip Roth também ele fantástico.
Bem vinda de volta ao mundos dos blogues.
Beijinhos

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Desta bela lista de livros só li a Crónica de uma morte anunciada mas levo algumas sugestões, aproveito para desejar um bom Domingo.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Graça Pires disse...

Fantástico ter lido tantos livros em 2018! Também gosto muito de ler, mas andei por outros autores. Da sua lista apenas li "Crónica de uma Morte Anunciada" e já foi há um tempo…
Uma boa semana.
Um beijo.

Bella disse...

Obrigada pela visita :)

Não conheço nenhum dos livros a que referes. Não tenho por hábito ler romances ou autobiografias, ou livros do género. Não tenho grande paciência.

Aprecio sim os livros sobre as aventuras de Sherlock Holmes ou da Agatha Christie, embora outro tipo de policiais não gosto. Tentei ler os três mosqueteiros e o ben hur mas sem sucesso.

Já li muitos livros de ficção científica na minha adolescência mas agora não aprecio tanto. Nos últimos anos a minha leitura restringe-se sobretudo a leitura técnica.

Bjs

Cláudia disse...

Obrigada pelo comentário =)

As minhas leituras andam uma tristeza =P

Beijocas

Zizi Santos disse...

Olá Catarina
que surpresa boa ver te na no blog
apesar que no Instagram nos vemos com frequência.
Eu tenho dó de deletar o blog, estou postando raramente. Quisera ter o tempo disponível para ele, pois acho muito prazeroso e tem um efeito muito afetivo para mim.
Dei uma espiada na sua horta , e também penso que gostaria de ter uma. Vivo uma vida saudável, sou ovo lacto vegetariana então legumes e verduras são meus companheiros sempre . Além das frutas é claro.
Já fui muito natureba como se falava antigamente por aqui, agora me vejo madura na idade então certos prazeres na vida faço questão de tê-los. As vezes não são muitos corretos, uma coca cola por exemplo.
Quanto aos livros, vejo que está bem animada ! Não conheço nenhum deles, mas Isabel Allende já li no passado.
Está ai,uma coisa que falta em minha vida, uma literatura para me animar e me fazer mais feliz.
Quem sabe eu possa me inspirar na sua lista .

bjs
bom fim de semana

As Mulheres 4estacoes disse...

Olá, Catarina!
Da sua lista eu já li e amei, Pássaros Feridos.
Apesar de gostar muito de ler, em 2018 quase não o fiz.
Mas já tenho alguns nomes na lista de desejos, para 2019.
Um abraço
Sônia

A Casa Madeira disse...

Passando para deixar um olá, e ver
as novidades.
Sobre os livros não li nenhum desses. Mas foi bom
conhecer.
Boa continuação de semana.

Anas Khan disse...

Great post.
Regards.
Codesarrival.com
Dealswithin.com
Promosinn.com

Zizi Santos disse...

Catarina
eu vim aqui conferir se tinha post novo
pareceu que você tinha falado la no Instagram que teria um post novo, não sei.
bjs feliz quinta feira pra ti