quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Sustentabilidade e Redes Sociais

Quando comecei a pensar em levar o "Ecológica, quem? Eu?" para as redes sociais, várias questões foram surgindo na minha cabeça. A maioria delas ligada à questão de poder ser contraditório escrever sobre sustentabilidade, natureza, slow-living, ambiente (entre outros temas do género) e ir-me ligar às redes sociais, que são, muitas vezes, o baluarte e o principal exemplo de tudo o que critico na nossa sociedade actual.

E andei neste vai não vai, inscrevo-me não me inscrevo, divulgo não divulgo, durante uns meses. A verdade é que as redes sociais já são parte da nossa sociedade e, para o melhor e para o pior, elas vieram para ficar. E já estão bem enraizadas.

Se eu critico o facto de as pessoas andarem sempre com o telemóvel "agarrado", de não se conseguirem desligar das "selfies", de perderam tempo a ver a falsa felicidade dos outros e de ficarem deprimidos por causa disso, ao invés de lerem um livro, fazerem um piquenique com a família e/ou os amigos ou passarem um bom bocado na horta ou com um animal de estimação? Sim.
Se critico a selvajaria virtual das pessoas, a que se assiste quando acontece alguma coisa negativa, e o desregramento e falta de contenção nas opiniões e desinformação? Sim.
Se critico as pessoas que muito "teclam" e "postam" mas que na verdade pouco fazem e normalmente são Madres Teresa de Sofá (pois pôr a mão na massa e tomar atitudes reais para que a vida de todos seja melhor dá trabalho)? Sim.

Mas também penso que isso não é culpa das redes sociais, não totalmente. A culpa é das pessoas. Da forma como se deixam envolver e do desconhecimento. Da forma como a nossa sociedade está estruturada e o que é consensualmente aceite como sendo "a felicidade".

Se eu posso escolher desconectar-me totalmente e continuar a fazer o que faço, fazendo a minha parte (e às vezes a dos outros também)? Sim, posso.
Se eu posso ficar sossegada no meu canto a fazer as minhas coisas, horta, contemplação da natureza, vida saudável, procurar comércio justo e fazendo o mais que posso, sem entrar no consumismo maluco e sem fazer publicidade disso? Sim, posso.
Se eu posso isolar-me nos meus processos do que eu acho correcto, justo e sustentável e não mostrar, exemplificar, divulgar e nem me chatear com os disparates que os outros fazem? Sim, posso.

Mas, depois de muito reflectir, cheguei à conclusão que isso não era correcto. Por muito que a maioria do tempo eu esteja cansada da sociedade actual e prefira o isolamento, se eu tenho uma hipótese de divulgação das minhas ideias, devo aproveitá-la. Pois se existem estas plataformas de divulgação, elas devem ser usadas para o bem comum. Não seria apenas egoísta da minha parte guardar informação e conhecimento apenas para mim?
Além disso, muitas vezes vejo ou leio algo digno de partilha e que não se enquadra no formato que eu tenho aqui no blogue.  Assim, posso mais facilmente partilhar conteúdos e partilhar mais de mim e das minhas coisas e (quem sabe?) até ser um exemplo, para que cada vez mais e mais pessoas abracem um estilo de vida sustentável.

Conclusão: juntei-me a "eles" e para além deste meu/vosso espaço habitual, podem me encontrar nas várias redes sociais, cada uma com a sua especificidade.

Google + :
O espaço onde nós, bloggers do Blogger, nos reunimos em círculos e espreitamos as novidades dos blogues que gostamos de seguir e ler.
https://plus.google.com/u/0/106375204044090390508
Pinterest :
Onde guardo inspirações, receitas, truques para a horta, ideias de reciclagem, upcycling e muito mais.
https://pt.pinterest.com/cathenriques

Facebook :
Página do blogue e espaço de partilha de notícias, eventos, bons exemplos de sustentabilidade, modos de vida inspiradores, sugestões de passeios, entre outros.

https://www.facebook.com/ecologicaquemeu/
Instagram :
Achados, paisagens lindas, novidades da horta, curiosidades, animais, água, tudo isto em imagens em forma de fotos.

https://www.instagram.com/ecologica_quem_eu/ 

Se sentirem essa curiosidade, cliquem nas imagens e vejam o que se passa por lá. Mas atenção! Estes são espaços de divulgação, apenas para preencher lacunas que não consigo preencher aqui no blogue. Este é e será sempre o meu espaço especial e principal.

Boa quarta-feira e bem-vindo Setembro!
(Está quase a chegar o Outono! Que bom!!)

25 comentários:

O meu pensamento viaja disse...

Catarina, não vejo mal algum em aderir, desde que mantenhemos a lucidez e a disciplina de parar, de nso grudar nesse mundo virtual.
Beijo

Andreia Morais disse...

As redes sociais, como tão bem referiste, não têm culpa. As pessoas é que têm que se saber desligar e não fazerem delas uma prioridade quando há tanto mundo lá fora. Uso muito as redes sociais, mas não dispenso a companhia de um bom livro, dos meus amigos e da minha família :D

piteis da dinha disse...

Oi Catarina, bn!
Que bom que vc tomou a decisão de participar dessas redes. Como vc bem disse, elas tem também um lado bom. Haja visto, termos nos conhecido né? kkk
Bjsss amiga e parabéns pelo post

lenalima disse...

Bom senso sempre! bj

Konigvs disse...

Essa é uma discussão interessante e devo dizer que me revi completamente nas tuas dúvidas. Eu costumo dizer, por exemplo, que sou o último português sem Facebook, em tempos até escrevi sobre isso: http://multi-resistente.blogspot.com/2014/02/fora-da-caderneta.html

Eu estou na blogosfera só há três anos, mas cheguei três anos mais tarde porque demorei três anos a escolher um nome! E antes mesmo de começar o primeiro que tinha em mente, acabei mesmo por começar um outro blogue de um outro tema, lá está, porque arranjei nome primeiro!

Tive muitas dúvidas quando comecei, se na verdade escreveria alguma coisa de jeito, que pudesse interessar alguém. Mas a ideia nunca foi ter muitos seguidores. A ideia sempre foi ir escrevendo enquanto me desse prazer. Se alguém os descobrisse ótimo, se ninguém os lesse, ótimo na mesma. E acho que esse deve ser o princípio, pois assim nunca que as pessoas desistem dos seus blogues por não terem quem os leia. E nem de longe nem de perto que a qualidade de um blogue se mede pela quantidade de gente que os lê. Eu pelo menos penso assim, se não então sim, já tinha desistido dos meus!

Eu não uso o meu próprio em nenhum sítio da internet (tirando os e-mais profissionais como é lógico) nem tenho fotografias da minha pessoa nos blogues (a não que seja assim de forma muito subtil) nem as publico em qualquer outro sítio. Não estou interessado em saber da vidinha triste das outras pessoas nem ajudo a alimentar os seus egos. Eu gosto de saber da vida sim, mas das poucas pessoas que me estão próximas, não de cinco mil pseudo-amigos. Também não tenho telemóvel com internet. E só pode haver algo de muito errado, quando estou a almoçar com os colegas de trabalho e se eu não falar (algo que costuma acontecer!) há sempre um enorme silêncio de morte. As ditas redes sociais (e um blogue também se pode considerar rede social acho eu, ainda que de forma diferente) mataram a vida social - irónico não é?

Mas acabei mesmo por me juntar a uma rede social, quase sem saber como, quando juntei Blogger, Youtube e Gmail tudo na mesma conta do Google+. Porque parecia-me de facto mais prático, agregando tudo numa só conta e graças a isso sempre que escrevo alguma coisa no Blogger fica disponível a quem me quiser acompanhar. Mas para já chega!

Bella disse...

Na verdade, tudo isso a que referes é o reflexo da educação, ou melhor a falta dela, hoje em dia na sociedade.

É impossível uma família ser estável com a mãe a trabalhar fora de casa. Este grande engano da emancipação feminina foi uma forma de destruir a família, ponto final! As crianças são despejadas em instituições com 3 meses de idade, o que é claramente um acto criminoso. Isto leva também as pessoas ao desepejarem os pais nos lares para apoderecerem.

Perdeu-se os valores morais como nunca na história da humanidade. Perdeu-se o contacto saudável com as pessoas. As redes sociais fomentam bem isso, bem como, a televisão que hoje em dia só passa sexo, porcaria e devassidão. Isto é incutido nas pessoas a acharem que o errado é correcto e o correcto é errado. Hoje em dia, o mundo virou de patas pró ar mesmo!

Mesmo na escola se ensina mentiras, mentiras sobre a História do mundo, mente-se nas aulas de biologia a dizer que o apêndice não serve para nada, quando é um órgão importantíssimo do sistema imunitário (produz as bactérias necessárias ao intestino grosso). Mente-se a dizer que a azia é ácido a mais no estômago. Mente-se a dizer que os valores morais não são bem assim (frase favorita de satanás). Incute-se na criança e no jovem o desrepeito e a deshonra aos pais.

Hoje em dia as pessoas não sabem o que é integridade, honra, carácter, responsabilidade, sacríficio. Vive-se no tempos da facilidade que leva à desgraça em todos os aspectos. Daí o aumento da prostituição, drogas, alcoolismo, agressões aos pais e séniores. Os pais não pensam nos filhos e assim os filhos aprendem a não respeitar os pais. Os pais imputam a educação dos filhos à escola, o que é um erro gigantesco.

Em suma, isto é tudo fala de Deus!

"Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna."
Mateus 5:37

"Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel."
1 Timóteo 5:8

Bjs


Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Pois é minha amiga as redes sociais estão aí por todo o lado e elas devem ser manuseadas com moderação.
Um abraço.
Andarilhar

A.João disse...

Pois o problema é as pessoas não saberem equilibrar as coisas. Quando vejo um homem de meia idade à procura de pokemons no meio da estrada completamente alheado do transito fico preocupado com o futuro. Uso as redes sociais há bastante tempo, de uma forma conscienciosa. Primeiro está a família, os amigos, os meus animais, os meus hobbies (recentemente voltei à fotografia analógica) os meus momentos na água em cima da prancha etc. Não nego que as redes sociais me têm sido bastante úteis, mas fico bastante preocupado com os excessos.

Os olhares da Gracinha! disse...

Amiga...devemos fazer o que nos deixa bem feliz e realizada nos projetos que vamos traçando!
Eu tenho os blogs compartimentados de acordo com os temas que abordo!
Tenho o Google +...sem me aperceber disso e aderi ao Pinterest!
Vou espreitar o que temos de comum!
Gostei da sua abordagem!
Bj

Simone Felic disse...

Olá Catarina
O jeito é ter equilibrio o que muita gente não tem ficam vidrados na tela,
o que não é nada saudável, sentei agora na frente do PC, depois de ter feito muitas tarefas e replantado algumas plantas que precisavam de atenção e fiquei triste que o trabalho acabou, fico meio depressiva quando chove demais e só dá para assistir e ficar no pc. É muito bom estas redes para compartilhar informações e devemos sim aproveitar, pois falta sim artigos que venham acrescentar como os seus, apoiada em tudo.
Bjs


http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Sónia Martins disse...

Olá Catarina :) Concordo completamente, a sério só uso o facebook e acho que é um importante espaço de divulgação, também uso o google+, mas não lhe ligo quase nada. Acho que podemos escolher entre divulgar e não divulgar as nossas escolhas e ideias, eu prefiro divulgar, até porque devo confessar que com todos os problemas do mundo virtual, é neste que tenho encontrado mais pessoas que pensam como eu. Afinal, os ecologistas andam espalhados por aí :P

Poções de Arte disse...

Acho que a maioria que busca um estilo de vida assim como o seu, tem essas lutas mentais. Foi o que aconteceu comigo por um bom tempo em relação ao face, mas há dois anos entrei e mesmo assim, uso pouco.
Penso como você quanto às superficialidades e falta de conteúdo que encontramos muito por lá, mas tudo é questão de localizar o que nos interessa. Muitos realmente não leem nada e querem apenas se promover. Outros, porém, estão sempre levando conteúdo e através de links, localizamos blogs e sites que podem ser muito útil indo de encontro com nossos princípios. Por lá, sempre encontraremos de tudo, mas o mais importante é ir atrás do que nos faz bem e sempre manter um equilíbrio. Eu não tenho um celular conectado com face e na minha mochila sempre tem um livro. Na minha casa não funciona internet, então acho que consigo manter o que acredito sem fazer esforço.
Bom trabalho por lá e que suas postagens possam edificar muitos.
Por aqui é quase Primavera e já podemos ver o colorido volteando muitos lugares.
Abraços esmagadores e feliz final de semana.

Artes da Velha disse...

Olá Catarina :) gostei de ler o texto ... eu sou do género de ir de férias e deixar o telemóvel em casa porque me esqueci ... voltar a casa e voltei a ir de férias e voltei a esquecer-me do telemóvel e digo-te que não me fez falta nenhuma, no entanto não tenho nada contra o mundo virtual, ele é o que dele fizermos. Mas também acho que o exagero reflecte muito a sociedade em que vivemos, parece que andamos todos em manada - salvo seja :) - o que um pensa todos replicam, acho que o exagero do mundo virtual, tira a capacidade de raciocínio individual ... e uma sociedade que não pensa ... é uma presa fácil. Mas isto é um assunto que dá pano para mangas :)
Fica bem
bjs

Carla Ramalho disse...

Confesso que ainda sou uma caloira quando se trata de redes sociais e nem me preocupo muito. Não sou pessoa para estar sempre no facebook (por vezes passo dias sem lá ir). Gosto de ter um blog e postar o que gosto acima de tudo, as redes sociais uso-as apenas como meio de divulgação. O que tenho pena é de maioria das pessoas não se conseguir desligar desse mundo virtual que é apenas isso, virtual.
Bom fim de semana!
Beijinhos ...
Guloso qb

ANNA disse...

Gracias por pasar por mi blog
He pasado tu blog a mis contactos
Besos

Graça Pires disse...

Eu não estou em rede social nenhuma, por opção... Mas penso que há muito espaço nas redes sociais para se intervir sobre os mais variados assuntos. E isso penso que fazes bem...
Uma boa semana.
Beijos.

Cadinho RoCo disse...

A comunicação via web poderá ser muito oportuna a partir e nós mesmos. Agora mesmo estou na www.hellowebradio.com experiência deliciosa.
Cadinho RoCo

Marta Moura disse...

O Instagram é um vício! :)

Sandra Oliveira disse...

Olá Catarina, é sempre uma opção, e eu também acho que quem faz as redes sociais serem "exageradas" são as pessoas realmente :)
Acho bem que divulgues, porque é deste "tipo" de conteúdo que devemos ler ;) Conteúdo que nos ensina e aprendemos muito :)
Eu irei continuar mais por aqui, mas se te encontrar nos outros sítios, também vou gostar :)
Beijinhos

Zizi Santos disse...

Catarina
gostei de seus questionamentos, e também de encontra-la no instagram.
Tem sido o meu queridinho no momento.
Facebook nem ligo.
No início tive tudo, twitter, face, blogs, linkedin, etc etc
hoje gerencio mais o Instagram e o blog
É questão de bom censo.
Acho interessante essa troca de informação , de compartimentar
Cabe a cada um o seu limite
Acho as selfies exageradas, pois ao fazerem, perdem o censo, o limite. Sempre ao lado tem alguém querendo fotografar também
Se manter atualizado é importante, e as redes sociais nos oferecem isso.
é aproveitar bem

bjs



Gracita disse...

Querida Catarina
Externaste com propriedade os medos e anseios e depois de ponderar só uma conclusão a culpa da alienação não é das redes sociais e sim das pessoas que não conseguem manter um equilíbrio e se deixa envolver por este vício do mundo virtual. Bem vinda às redes amiga. E eu ainda sou um pouco reticente mas um dia as defesas caem não é?
Que o seu dia seja abençoado
Beijos e afagos no coração

CÉU disse...

Olá, Catarina!

Deu-me gosto ler o teu texto e este mais k os outros.

Fizeste o que se chama a balança comercial dos afetos, dos prós e dos contras, e encontraste uma solução que é quase perfeita, na minha opinião.

Não tenho Facebook, Pinterest, Google+, Instagram, nem, nem, nem, POR OPÇÃO. Tenho telemóvel, mas sem Internet. Possuo, apenas, um blogue, k reflete os meus sentires. Publico, de mês a mês, sensivelmente, mas não tenho obrigações, timings para o fazer.

Partilhar o que consideramos BOM é excelente. Há pessoas, k gostam, outras, nem tanto, mas cada qual vive a vida à sua maneira.

O importante é k te sintas bem.

Beijinhos e bom fim de semana.

A Casa Madeira disse...

Nessa grande blogosfera tem espaço para tudo;
E a partilha de coisas interessantes é sempre bom;
Vai de cada um procurar ler o que gosta; e ter afinidades
verdadeiras...
Eu realmente não sei como é estar logado neste monte de coisas;
um post por mês k, pelo menos para mim já está de bom tamanho k.
E mesmo assim já me passou varias vezes a vontade de encerrar com as
publicações; mas daí vejo a caixa de e-mails e fico adiando...
Boa continuação de semana.
janicce.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, tudo serve conforme as pretensões de cada um, as redes sociais não fogem à regra, que existe pessoas viciadas que dão mais horas ás redes sociais que a elas próprias é verdade e criticável, mas cada um sabe das suas atitudes.
Resto de boa semana,
AG

nina disse...

Na verdade eu acho que a redes sociais não fazem mal algum desde que usadas com moderação.
Beijinho e bom fim de semana 😆